quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

A 1ª de seis

Olá, conforme combinado volto hoje para vos contar como foi a minha aventura na primeira ida à quimioterapia.
Que medo! Que nervos! Cheguei à sala da "quimio" eram 8 da manhã mais a minha querida cunhada, uma amiga de todas as horas, uma verdadeira irmã.
Como devem calcular cheguei congelada de tantos nervos, afinal não sabia muito bem para o que ia e agulhas nem vê-las!!
Para tirar sangue e ficar com o catéter para o tratamento foi uma missão difícil, quatro espetadelas, um quase desmaio e muito stress. Mas enfim, tudo passou e o tratamento em si não se pode dizer que seja muito doloroso, é apenas um pouco demorado, saímos às 15 h. Agora os dias seguintes é que vamos ver como vão ser, adivinham-se complicados e enjoados, dizem as vozes da experiência.

Volto assim que conseguir. Beijos

5 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Marina, se puderes vai a este blog:

http://oclubedasmongas.blogspot.com

É duma mulher que testemunha como muitas mulheres combateram e venceram o cancro de mama. Tenho a certeza que poderás aprender muito com ela. Beijo!

EUzinho "O Esposo" disse...

Vais ver que esta é a primeira batalha que vamos travar para ganhar esta guerra.

Beijos GRANDES

Palmira disse...

Força amiga, continua sempre positiva pois estamos contigo nesta tua luta e todas juntas faremos um cordão muito forte com positividade para venceres todos os obstaculo Quer queiras quer não já és uma vencedora.O teu sorriso ilumina as nossas vidas.um xi coraçao das amigas malucas Isabel e Palmira

Anónimo disse...

Hoje é um dia feliz tanto para ti como para mim

Um beijo e que o sol brilhe sempre para ti =D Célia e familia

Anónimo disse...

Marina
Só há poucos dias tive conhecimento da grande luta que estás a travar e estou orgulhosa da forma heróica, forte e exemplar como a estás a conviver com ela. Se quiseres e considerares útil na tua vida ter por perto uma amizade que há alguns anos preferiste "esquecer", podes ter a certeza que estou aqui.
Quando me disseram que tinham visto a reportagem ponderei que fosse engano de quem viu, decidi perguntar à Susana, em S.Martinho, ela deu-me o blog e o teu telemóvel, que só utilizarei se assim o entenderes.
Fico muito feliz por saber que tens ao teu lado um marido tão amigo, tão meigo e compreensivo. Sabes bem que foi o que sempre desejei para ti.
Se quiseres, diz alguma coisa...
beijinho muito grande
Adé